consorcio fiat
  • 0800 77 222 77 | 4003 7505
  • ligação gratuita para todo brasil
Modelo:

Uno Vivace 1.0 EVO Flex 4P

Código do Bem: 4969
Crédito: R$ 27.670,00
Parcela: R$ 422,52
Prazo: 80 Meses
*Fotos meramente ilustrativas.
Uno Vivace 1.0 EVO Flex 4P
Dados Pessoais
Tipo de Pessoa:
Nome:
Razão Social:
Data de Nascimento:
Órgão Emissor:
Nome do Resp:
Nacionalidade:
Sexo: M F
Nome do Pai:
Ocupação:
Remuneração:
   
CPF:
RG:
CNPJ:
Data de Expedição:
Naturalidade:
CPF:
Naturalidade:
Estado Civil:
Solteiro Casado Outros
Nome da Mãe:
Banco:
Agência: Conta:
Dados para Contato


Tel. Residêncial:
Celular:
Email:
Tel. Comercial:
Tel. Fax:
Email Alternativo:
Dados para Correspondência


Endereço:
Cep:
Bairro:
Número:
Complemento:
Cidade:
Estado:
CONTRATO DE ADESÃO

A - FIAT ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS LTDA., com sede em São Paulo, Capital - Av. Paulista, 967 - 10º e 11º andares, denominada ADMINISTRADORA e o aderente qualificado, denominado CONSORCIADO, partes que compõe o contrato de adesão, acordam que:

B - TERMO DE ADESÃO À GRUPO DE CONSÓRCIO

Através do presente instrumento firmado pela ADMINISTRADORA e pelo proponente, que neste ato passa a denominar-se CONSORCIADO, formaliza-se seu ingresso no grupo de consórcio, criando-se vínculos jurídicos e obrigacionais entre as partes, cujas relações serão regidas pelo presente contrato e em consonância com a legislação consorcial em vigor, que será aplicada subsidiariamente nos casos de obscuridade ou lacuna do presente documento.

C - INSTRUMENTO DE PROCURAÇÃO

O CONSORCIADO, neste ato nomeia e constitui sua bastante procuradora a FIAT ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS LTDA.; em caráter irrevogável e irretratável, na forma do artigo 1317, inciso II do código civil brasileiro, a quem confere poderes especiais para representá-lo na formação, constituição do grupo de consórcio e demais assembléias gerais nas quais o outorgante não esteja presente ou representado através de outro procurador e/ou pessoa devidamente credenciada; votando e decidindo todos e quaisquer assuntos, pôr mais especiais que sejam, ressalvadas as exceções legais, representando-o ativa e passivamente perante o grupo, demais CONSORCIADOS e terceiros em geral, judicial e extrajudicialmente, com poderes "da negrita", "da judicia e et extra" nos assuntos de interesse do grupo, representá-lo perante repartições públicas federais, estaduais ou municipais, autarquias, institutos de previdência, empresas seguradoras, cartórios de protesto, registro públicos, representando-o como autor ou réu, em qualquer juízo, ou tribunal, praticando enfim, todos os atos necessários ao fiel desempenho do presente mandato, tais como assinatura de atos, contratos e outros documentos semelhantes e pertinentes, podendo inclusive substabelecer a seus propostos ou procuradores, sempre com reserva de poderes.

DO OBJETIVO DO CONSÓRCIO

1 - O objetivo do consórcio é possibilitar através de arrecadação - contribuição mensal em dinheiro - de um grupo de participantes pessoas físicas ou jurídicas, necessária a formação de fundo comum destinado a proporcionar ao CONSORCIADO o valor de um crédito, colocado à sua disposição, quando de sua contemplação pôr sorteio ou lance, para a compra do bem objeto do plano.

DA ADESÃO

2 - Mediante a proposta de admissão o proponente manifesta seu interesse e demonstra sua capacidade econômica-financeira de participar de grupo de consórcio.
2.1 - Tendo em vista que os prazos de duração do consórcio são prolongados, no ato de recebimento do bem o CONSORCIADO terá que ratificar sua condição econômico-financeira, para garantir o próprio grupo ao qual está agregado.
2.2 - Simultaneamente, o CONSORCIADO tomará ciência do integral teor do contrato de adesão, apondo sua assinatura.
2.3 - No momento da adesão poderá ser cobrado:
I - A primeira prestação;
II - A antecipação de recursos relativos à taxa de administração;
1º - A primeira prestação paga no momento dá adesão será acrescida dos respectivos rendimentos financeiros líquidos considerando-se este o valor efetivamente pago pelo CONSORCIADO na data da assembléia de constituição do grupo.
2º - Não constituído o grupo no prazo de 90 (noventa) dias contados da formalização da adesão, o valor será devolvido a partir do primeiro dia útil acrescido dos rendimentos financeiros líquidos provenientes de sua aplicação financeira.
3º - Sempre que a contratação ocorrer fora da dependência da ADMINISTRADORA, o CONSORCIADO aderente poderá, no prazo de 7 (sete) dias, desistir do contrato, com o recebimento dos valores pagos, acrescidos dos rendimentos provenientes de sua aplicação financeira.

DO BEM OBJETO E DA CONSTITUIÇÃO DOS GRUPOS

3 - É o bem objeto do plano de consórcio, aquele descrito no quadro III, conforme descrição de espécie, marca, modelo e combustível, pactuados na admissão. Caso o CONSORCIADO opte pôr adquirir o veículo em praça diferente de seu domicilio, ficará responsável pelas obrigações financeiras que vierem a ser estabelecidas em decorrência dessa opção.
4 - O grupo de consórcio poderá ser constituído com tipos diversificados de veículos da mesma espécie, com preços diferenciados.
5 - O grupo será considerado constituído na data da primeira assembléia geral ordinária convocada pela ADMINISTRADORA.
Parágrafo Único - Após constituído, cada grupo terá identificação própria e será autônomo em relação aos demais formados pela ADMINISTRADORA, possuindo patrimônio próprio que não se confunde com o da ADMINISTRADORA.
5.1 - A ADMINISTRADORA, seus sócios, gerentes, diretores e prepostos com função de gestão, poderão participar de grupos pôr ela administrados desde que os CRÉDITOS correspondentes a essa participação lhes sejam atribuídos após a contemplação de todos os demais CONSORCIADOS do grupo.
Parágrafo Único - O acima disposto aplica-se a empresa ligada à ADMINISTRADORA que participar de grupos de consórcio pôr esta administrados.

ASSEMBLÉIA GERAL DE CONTITUIÇÃO

6 - Na assembléia geral de constituição a ADMINISTRADORA deverá:
A - Observar o número máximo de participantes de cada grupo, na data de sua constituição, será o resultado da multiplicação do número de meses fixado para sua duração pela quantidade de créditos prevista para contemplação mensal, só podendo ser o grupo convocado para constituição após a adesão de no mínimo, 70% (setenta pôr cento) da quantidade máxima de participantes prevista para o grupo.
A.1 - Ocorrendo desistência ou exclusão de CONSORCIADOS, o grupo poderá continuar funcionando com qualquer número de participantes, sem prejuízo do prazo de duração e da competência da assembléia geral extraordinária de deliberar sobre o seu encerramento.
B - Promover a eleição de 3 (três) CONSORCIADOS que na qualidade de representantes do grupo e com mandato gratuito, terão a responsabilidade de fiscalizar os atos da ADMINISTRADORA na condução das operações de consórcio do respectivo grupo;
B.1 - Não poderão concorrer a eleição como representantes do grupo: Funcionários, sócios, gerentes e propostos com poderes de gestão da ADMINISTRADORA ou empresa a ela ligada.
C - Deixar a disposição dos consorciados, que tenham direito a voto nas assembléias gerais, fornecendo cópia sempre que solicitada a relação contendo o nome e o endereço completo de todos os seus participantes, apresentado, quando for o caso, documento em que esteja formalizada a discordância do CONSORCIADO com a divulgação dessas informações, firmada na assinatura do contrato de adesão.
Parágrafo Único - No momento da constituição do grupo o CONSORCIADO aderente poderá decidir pela permanência ou não, em decorrência do não cumprimento do previsto nas letras acima deste artigo, desde que não tenha concorrido a contemplação, hipótese em que lhe serão devolvidos os valores pôr ele pagos a qualquer título, acrescido dos rendimentos financeiros líquidos provenientes de sua aplicação.

DO PRAZO DE DURAÇÃO DO GRUPO

7 - O prazo de duração do grupo é aquele evidenciado na proposta de admissão e ratificado no quadro I.

DAS PRESTAÇÕES

8 - O CONSORCIADO obriga-se a pagar mensalmente, prestação composta dos seguintes percentuais: Fundo comum e de reserva, seguros e taxas de administração nos quadros apropriados desta celebração.
8.1 - Será considerado adimplente ou "em dia" o CONSORCIADO que não possuir qualquer débito vencido perante a ADMINISTRADORA com relação às prestações mensais, juros moratórios, multa contratura, despesas de cobrança judicial e diferença de prestação.
8.2 - Definir-se-à o percentual de pagamento mensal, para o fundo comum dividindo-se 100% (cem pôr cento) pelo número total de meses fixado para duração do grupo.
9 - O CONSORCIADO estará sujeito ainda, ao pagamento:
I - De diferença de prestação na forma legal;
II - De valor correspondente à atualização do crédito, na hipótese do mesmo ter sido colocado a sua disposição;
III - Das despesas com notificações extrajudiciais, via cartório, efetivamente ocorridas, nos casos de cobrança pôr inadimplência;
IV - Das despesas, devidamente comprovadas pela ADMINISTRADORA, referentes a escritura, taxas, emolumentos e registro das garantias prestadas;
V - Das despesas de cobrança judiciais, nos termos da sentença;
VI - Entrega, a pedido do CONSORCIADO, de segundas vias de documentos.

DO DEPÓSITO

10 - Os recursos do grupo serão obrigatoriamente depositados em conta vinculada, em banco múltiplo com carteira comercial, banco comercial ou caixa econômica e aplicados, desde a sua disponibilidade, na forma da regulamentação vigente.

DO VENCIMENTO, DAS ANTECIPAÇÕES, DO PAGAMENTO COM ATRASO E DAS DIFERENÇAS DE PRESTAÇÕES.

11 - A ADMINISTRADORA informará ao CONSORCIADO a respeito das datas de vencimento das prestações do grupo, mediante posição informativa que irá informar de forma detalhada o valor da prestação e da realização das respectivas assembléias.
11.1 - A ADMINISTRADORA poderá no ato da adesão, cobrar antecipadamente a 1º prestação mensal.
11.2 - Local ou bancos ou pessoas autorizadas pela ADMINISTRADORA a receber as prestações mensais.
11.3 - Caso excepcionalmente, o CONSORCIADO não receba a posição informativa mensal, deverá obter junto a ADMINISTRADORA, no endereço de seu domicilio, os dados e informes necessários que possibilite o pagamento das prestações que deverá ser efetuado até o 4º (quarto) dia útil anterior a realização da assembléia geral ordinária.
11.4 - Caso recaia em dia não útil, o vencimento da prestação passará automaticamente para o primeiro dia útil subseqüente.
12 - O CONSORCIADO que não efetuar o pagamento da prestação mensal até a data fixada para o seu vencimento, ficará impedido de concorrer aos sorteios ou participar de lances, na respectiva assembléia geral ordinária.
13 - O CONSORCIADO poderá abater o saldo devedor de suas prestações vincendas, na ordem inversa a contar da última, no todo ou em parte, exclusivamente:
13.1 - Pôr meio de lance vencedor;
13.2 - Pela diferença a seu favor caso o veículo adquirido seja de valor inferior ao crédito e o CONSORCIADO não optar pôr adquirir outro bem sujeito à alienação fiduciária;
13.3 - Para viabilizar contemplações, desde que o CONSORCIADO tenha sido contemplado e o valor das antecipações, somados às disponibilidades, seja suficiente para aquisição de um ou mais veículos;
13.4 - Pôr opção do grupo, na primeira assembléia geral ordinária, para quitação de prestações vincendas em ordem seqüencial ou inversa a contar da última, no decorre do grupo, tanto pôr CONSORCIADOS contemplado como pôr não contemplados.
1º - O CONSORCIADO não contemplado que pagar antecipadamente as prestações previstas no contrato, na forma do disposto neste artigo, somente terá direito a aquisição do bem ou conjunto de bens após a sua contemplação pôr sorteio.
2º - A quitação total do saldo devedor somente pode ser exercida pelo CONSORCIADO contemplado cujo bem já tenha sido adquirido, encerrando sua participação no grupo, com a conseqüente liberação das garantias dadas.
3º - O saldo devedor compreende o valor não pago das prestações e das diferenças de prestações, bem como os demais valores devidos e não pagos.
4º - O CONSORCIADO não contemplado e o contemplado cujo veiculo ainda não tenha sido adquirido, que tenham antecipado todas as prestações do grupo, continuarão sujeitos ao pagamento do reajuste do saldo de caixa, se houver.
14 - As prestações pagas após a data de vencimento terão seus valores atualizados.
Parágrafo Único - De acordo com o preço do veículo, vigente na data assembléia geral ordinária de contemplação subsequente à data de efetivação do pagamento.
15 - O CONSORCIADO que atrasar o pagamento das prestações fica sujeito aos encargos;
I - Aos juros moratórios de 1% (um pôr cento) ao mês;
II - Á multa contratual de 2% (dois pôr cento), cujo produto será destinado, em igualdade, ao grupo e a ADMINISTRADORA.
Parágrafo Único - A ADMINISTRADORA deverá adotar, de imediato os procedimento legais necessários á retomada do bem, se o CONSORCIADO contemplado e na posse do bem atrasar os pagamentos das prestações.
16 - São diferenças de prestação:
16.1 - A importância recolhida a menor ou a maior em relação ao preço do bem referenciado no contrato, vigente na data da assembléia.
Parágrafo Único - Sempre que o preço do bem for alterado o saldo do fundo comum do grupo que passar de uma assembléia para outra deverá ser alterado na mesma proporção e o valor correspondente convertido em percentual do preço do bem, devendo ainda ser observado o seguinte:
A - Se o preço do bem sofrer reajustes para maior, a deficiência do saldo do fundo comum deverá ser coberta pôr recursos provenientes do fundo de reserva do grupo, ou se inexistente ou insuficiente, mediante rateio entre os participantes do grupo;
B - Se o preço do bem sofrer reajustes para menor, o excesso do saldo do fundo comum ficará acumulado para a assembléia seguinte e compensado na prestação seguinte mediante rateio entre os participantes do grupo;
C - Na ocorrência da situação de que trata a alínea "a", cabe a cobrança de parcela relativa a remuneração da ADMINISTRADORA sobre as transferências do fundo de reserva e sobre o rateio entre os participantes do grupo;
D - As importâncias pagas pelo CONSORCIADO na forma do disposto nele parágrafo deverão ser escrituradas destacadamente em sua conta corrente.
17 - O valor da diferença de prestações cobrado a menor ou a maior, convertido em percentual do preço do bem, deverá ser cobrado ou compensado na prestação imediatamente seguinte.

DA CONTEMPLAÇÃO

18 - A contemplação é a atribuição ao CONSORCIADO do direito de utilizar o crédito que ficará a sua disposição para a compra do bem, observado o disposto no título relativo a aquisição do bem.
1º - A contemplação será feita mediante sorteios e lances, conforme critérios fixado no presente regulamento.
2º - Para efeito de contemplação, serão sempre consideradas as datas das assembléias gerais ordinárias e a extração da loteria federal imediatamente anterior a esta.
3º - A ADMINISTRADORA comunicará ao CONSORCIADO contemplado, ausente á assembléia geral ordinária, sua contemplação, pôr meio de carta com aviso de recebimento (AR), ou telegrama notificatório, cuja expedição deverá ser feita até o 1º primeiro) dia útil após a realização da assembléia de contemplação.
19 - A contemplação está condicionada a existência de recursos suficientes no fundo comum, facultada a utilização do fundo de reserva, para a distribuição pôr sorteio de, no mínimo 1 (um) crédito para a compra do bem.
1º - Após a distribuição pôr sorteio de, no mínimo, um crédito para a compra de bem ou não tendo sido realizado pôr insuficiência de recursos, admite-se a oferta de lances que viabilizem contemplações.
2º - Havendo ainda recursos suficientes no fundo comum para novas contemplações e não mais havendo oferta de lances, deverão ser realizadas contemplações pôr sorteio.
20 - A distribuição de bens na forma de lance observará que:
1º - Os lances deverão ser oferecidos em percentuais do preço do bem especificado no presente, vigente na data da assembléia.
2º - O valor do lance não poderá ser:
A - Inferior a 10% (dez pôr cento) do saldo devedor do CONSORCIADO, vigente na data da assembléia mensal que ocorrer o lance;
B - Superior ao valor correspondente as contribuições vincadas, excluída a hipótese de substituição;
C - A aceitação e convalidação do lance não isenta o CONSORCIADO de eventual saldo devedor de percentual ou encargos.
3º - Será considerado vencedor o lance representativo do maior percentual do preço do bem ou do maior n[número de contribuições, que somado ao saldo de caixa, seja suficiente para a contemplação de crédito para a compra de um bem.
4º - Verificando-se empate, a apuração do vencedor ser[a feita através do número da cota, conforme extração da loteria federal da assembléia de contemplação, observado o critério de habilitação do plano.
5º - Os lances, se vencedores, serão considerados pagamentos antecipados de prestações vincendas, na forma estabelecida no presente contrato. Os lances perdedores serão restituídos.
6º - É facultado ao CONSORCIADO e, expressa anuência da ADMINISTRADORA, após efetivado o lance ou antecipação, diluir o saldo devedor restante, pelo número de prestações faltantes, conforme critério no parágrafo seguinte.
7º - O valor da prestação será obtido, dividindo-se o saldo residual do contrato, pelo número de meses faltantes, o resultado irá corresponder ao valor da nova prestação mensal.
8º - Eventuais reajustes irão obedecer o mesmo critério de atualização, ou seja, percentual de variação do preço do bem.
21 - A ADMINISTRADORA deverá colocar à disposição do CONSORCIADO contemplado o respectivo crédito, vigente na data da realização da assembléia geral ordinária de contemplação até o terceiro dia útil seguinte à data da assembléia, para a aquisição do veículo em fornecedor ou vendedor que melhor lhe convier.
1º - Manifesta a intenção do CONSORCIADO em receber o bem deverá providenciar as formalidades para a efetiva entrega do bem, inclusive quanto ao prazo para formalização de garantias.
2º - O CONSORCIADO poderá receber o valor do crédito em espécie, mediante quitação de suas obrigações junto ao grupo, caso não tenha utilizado o respectivo crédito até 180 (cento e oitenta) dias após a contemplação.
3º - Se não utilizado o crédito estabelecido no parágrafo anterior, a ADMINISTRADORA, no primeiro dia útil seguinte a expiração desse prazo, enviará carta ou telegrama notificatório ao CONSORCIADO contemplado, comunicando estar à sua disposição, para recebimento em espécie, o valor do crédito, acrescido dos rendimentos financeiros líquidos, deduzidas as obrigações pendentes de pagamento.
4º - O fato de estar o CONSORCIADO contemplado sem o bem não faculta atrasar o pagamento de suas prestações mensais, pois a ADMINISTRADORA irá deduzir do valor do crédito, acrescida dos juros e multa moratória.
5º - Na hipótese de cancelamento da contemplação, se o valor que retornar ao fundo comum, incluídos os rendimentos provenientes da aplicação financeira dos recursos, entre a data em que o crédito foi colocado à disposição do CONSORCIADO contemplado e o dia da realização da assembléia geral ordinária imediatamente seguinte à data do cancelamento da contemplação, for inferior ao do crédito devido na data da referida assembléia, diferença correspondente será adicionada ao valor da 1º (primeira) prestação subsequente do CONSORCIADO, cuja contemplação tenha sido cancelada.
6º - Na ocorrência do disposto no parágrafo anterior, a ADMINISTRADORA deverá distribuir mais um crédito, pôr sorteio, na assembléia subsequente.
22 - O CONSORCIADO aderente ao consórcio nacional FIAT, quando contemplado poderá adquirir um veículo desde que:
I - Novo, de fabricação nacional ou estrangeira, adquirindo mediante expedição de nota fiscal com declaração de garantia do fabricante ou de seu representante legal no país, de assistência técnica autorizada e reposição de peças;
II - Na impossibilidade, veículo usado, de fabricação nacional ou estrangeira, com ate 3 (três) anos de uso, incluído o de fabricação, adquirido mediante expedição de nota fiscal e de certificado de garantia de funcionamento pelo prazo mínimo de 3 (três) meses, expedito Pôr pessoa jurídica cujo objeto social seja a comercialização de veículos e prévia autorização da ADMINISTRADORA;
III - Para aquisição dos bens de que cuida é válida a apresentação à ADMINISTRADORA de nota fiscal avulsa emitida pôr secretaria da fazenda estadual;
IV - A ADMINISTRADORA ressarcirá o grupo na ocorrência de eventuais prejuízos decorrentes da autorização concedida para aquisição de bem cujo valor e/ou condição de conservação se mostrem incompatíveis com as obrigações do CONSORCIADO adquirente perante o grupo.
23 - Em garantia do pagamento das prestações vincadas, o bem ou conjunto de bens adquiridos pôr meio de consórcio será objeto de alienação fiduciária, nos termos do artigo 66 da lei nº4.728, de 14.07.65, com a redação que lhe deu o decreto lei nº911/69, instituto do qual a ADMINISTRADORA tem a posse do veículo e o CONSORCIADO terá o uso, em sua condição de fiel depositário, formalizada em contrato especifico, motivo pela qual o CONSORCIADO compromete-se a entregar a ADMINISTRADORA o certificado de propriedade do veículo, com o gravame da alienação fiduciária, no prazo de 10 (dez)dias.
1º - A ADMINISTRADORA em decorrência das exigências de salvaguardar os interesses do grupo deverá exigir no ato da contemplação que CONSORCIADO apresente renda líquida compatível com o saldo devedor, sendo valida a exigência de avalista para suprir tal condição.
2º - A ADMINISTRAÇÃO pôr sua vocação natural - consórcio de veículos - e para maior segurança do grupo reserva-se no direito de não aceitar garantias que sejam estranhas a seus objetivos sociais, ou que dificultem ou tornem onerosas a sua perfeita formalização.
3º - O CONSORCIADO deverá apresentar comprovantes de residência e de rendimentos, próprios e de eventual avalista ou fiador;
4º - Cópias autenticadas do CIC e cédula de identidade, próprios e do fiador;
5º - A ADMINISTRADORA deverá se manifestar no prazo de 7 (sete) dias a respeito dos documentos apresentados pelo CONSORCIADO para formalização de garantia, contados da data de sua apresentação, se forem, vários os documentos da data de entrega do último.
6º - Nota promissória, correspondente ao saldo devedor, assinada e avalizada pôr fiador idôneo, aceito pela ADMINISTRADORA, da qual a ADMINISTRADORA se compromete a não se utilizar a não ser para os efeitos da presente celebração, conforme anotação no verso do titulo.
7º - É facultado ao CONSORCIADO a apresentação de fiança bancária para garantia do saldo devedor.

DIFERENÇA DO VALOR DO BEM

24 - Se o bem adquirido for de preço:
I - Superior ao crédito o CONSORCIADO contemplado ficará responsável pela diferença de preço que houver;
II - Inferior ao crédito a diferença, a critério do CONSORCIADO, deverá ser utilizada:
A - Na compra de outro bem sujeito à alienação fiduciária;
B - Para pagar as prestações vincendas na ordem inversa a contar da última
C - Na hipótese do CONSORCIADO ter quitado suas obrigações, o valor lhe será devolvido em espécie.
1º - A ADMINISTRADORA só poderá efetuar o pagamento de bem ao fornecedor se a aquisição tiver sido feita pôr via de autorização de fatuamente pôr ela emitida, após a apresentação da nota fiscal e mediante entrega do certificado de registro de veículo, devidamente alienado fiduciariamente.
2º - Não anuindo, a ADMINISTRADORA deverá , no prazo máximo de 03 (três) dias, entregar ao CONSORCIADO solicitante justificativa pôr escrito de sua decisão.
25 - A liberação do crédito fica na dependência de o CONSORCIADO contemplado efetuar o pagamento das OBRIGAÇÕES eventualmente atrasadas depois da contemplação.

DO ENCERRAMENTO DO GRUPO

26 - No prazo de 60 (sessenta) dias após a contemplação dos participantes do grupo e da colocação dos créditos à disposição, a ADMINISTRADORA, observada a seguinte ordem, deverá comunicar:
I - Aos CONSORCIADOS que não tenham utilizado o respectivo crédito, que os mesmos estão a disposição para recebimento em espécie;
II - Aos desistentes e/ou excluídos, que estão a disposição os valores relativos à devolução das quantias pôr ele pagas;
III - Aos demais CONSORCIADOS, que estão à disposição os saldos remanescentes no fundo comum e, se for o caso, no fundo reserva, proporcionalmente ao valor das respectivas prestações pagas.
27 - O encerramento das operações do grupo deverá ser efetivado no prazo de 30 (trinta) dias após a entrega de todos os créditos devidos, o recebimento de todos os débitos ou após esgotados todos os meios de sua cobrança admitidos em direito e a comunicação da devolução de procurados aos CONSORCIADOS ativos, desistentes e excluídos.
1º - A critério da ADMINISTRADORA, o encerramento contábil das operações do grupo de consórcio poderá ser efetivado 180 (cento e oitenta) dias após cumpridas as exigências do artigo 26 anterior, observando-se que:
A - Os recursos não procurados pôr CONSORCIADOS ativos, desistentes ou excluídos e valores pendentes de recebimento, objeto de cobrança judicial, na data do encerramento contábil do grupo, serão transferidos para a ADMINISTRADORA que assume a condição de devedora dos beneficiários, cumprindo-lhe observar as disposições legais que regulam a relação credor / devedor do código civil brasileiro, devendo os valores recebidos serem remunerados na forma da regulamentação vigente aplicável aos recursos de CONSORCIADO de grupos em andamento;
B - A administradora manterá controle individualizado dos valores transferidos;
C - Esgotados os meios de cobrança, a ADMINISTRADORA baixará os valores não recebidos;
D - Os valores recuperados serão rateados proporcionalmente entre os CONSORCIADOS do respectivo grupo, devendo a ADMINISTRADORA, até 30 (trinta) dias após o recebimento, comunicar aos CONSORCIADOS que estão á disposição os respectivos saldos;
E - Será cobrada taxa de administração, a favor da ADMINISTRADORA, sobre rendimentos dos montantes não procurados pelos CONSORCIADOS ativos, desistentes ou excluídos do grupo.

DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIAS

28 - A competência da assembléia geral extraordinária é deliberar, pôr proposta do grupo ou da ADMINISTRADORA, sobre:
A - Substituição da ADMINISTRADORA de consórcio, com comunicação da decisão ao banco central do Brasil;
B - Fusão do grupo de consórcio a outro da própria ADMINISTRADORA;
C - Dilação do prazo de duração do grupo, com suspensão ou não do pagamento de prestações pôr igual período, na ocorrência de fatos que onerem em demasia os CONSORCIADOS ou de outros eventos que dificultem a satisfação de suas obrigações;
D - Dissolução do grupo, quando:
I - Da ocorrência de irregularidade no cumprimento das disposições legais relativas a administração do grupo de consórcio ou das cláusulas estabelecidas no contrato:
II - Nos casos de exclusões em número que comprometa a contemplação dos CONSORCIADOS ativos no prazo estabelecido no contrato.
E - Substituição do bem ou dissolução do grupo, na hipótese da descontinuidade de produção do bem - veículo - objeto do plano, sendo considerado como tal qualquer alteração na identificação do bem evidenciado no contrato;
E - Substituição do bem ou dissolução do grupo, na hipótese da descontinuidade de produção do bem - veículo - objeto do plano, sendo considerado como tal qualquer alteração na identificação do bem evidenciado no contrato;
F - Quaisquer outras matérias de interesse do grupo, desde que não colidam com as disposições deste regulamento.
1º - Nas deliberações das hipóteses previstas nas letras "c", "d" e "e", da presente cláusula, só serão computados os votos dos CONSORCIADOS não contemplados do grupo e desde que "em dia" com o pagamento de suas prestações.
2º - Assembléia geral extraordinária será convocada pela ADMINISTRADORA, que se obriga a fazê-lo no prazo máximo de 5 (cinco) dias úteis, da data de solicitação de , no mínimo, 30% (trinta Por cento) dos CONSORCIADOS do grupo, quando o assunto se referir aqueles de que tratam as letras "a", "b" e "d" da presente cláusula, ou, no mínimo, 20% (vinte pôr cento), quando o assunto se referir aqueles de que tratam as demais letras da referida cláusula.
3º - Quando a deliberação for acerca do que trata a letra "e", a ADMINISTRADORA convocará assembléia geral extraordinária, no participantes do grupo, com ate 8 (oito) dias úteis de antecedência de sua realização e excluindo-se o dia da expedição da carta ou telegrama e da convocação constarão, obrigatoriamente, informações relativas ao dia, hora e local em que será realizada, bem como os assuntos a serem deliberados.
30 - Nas assembléias gerais, que se instalarão com qualquer número de CONSORCIADOS do grupo, representantes legais, ou procuradores devidamente constituídos, as deliberações serão tomadas pôr maioria dos votos dos presentes, não se computando os votos em branco.
1º - Consideram-se presentes os CONSORCIADOS que, em condições de votar, enviarem seus votos pôr carta, com aviso de recebimento (AR), desde que esses votos sejam recebidos pela ADMINISTRADORA até o último dia útil que anteceder o dia da realização da assembléia geral extraordinária.
2º - Cada cota de participação no grupo dá direito a um voto na assembléia, podendo deliberar e votar os CONSORCIADOS "em dia " com o pagamento da prestação mensal, seus representantes legais ou procuradores devidamente constituídos.
3º - Os procuradores ou representantes legais dos CONSORCIADOS deverão ter poderes específicos para deliberar sobre o assunto constante da convocação, e a ADMINISTRADORA somente poderá representar o CONSORCIADO se esse lhe outorgar poderes específicos para a finalidade.

DA SUBSTITUIÇÃO DO BEM RETIRADO DE FABRICAÇÃO

31 - Decidindo a assembléia geral extraordinária pôr deliberação de continuidade do grupo com a escolha de u outro bem:
I - A cobrança das prestações dos CONSORCIADOS que tenham sido contemplados, vincendas ou em atraso, permanecerão no valor anterior e apenas serão atualizadas quando houver alteração no preço do bem substituído e na mesma proporção;
II - A cobrança das prestações dos CONSORCIADOS que ainda não tenham sido contemplados serão calculadas com base no preço do veículo substituto na data da substituição e posteriores alterações observando-se que:
A - As prestações já pagas deverão ser atualizadas na data da substituição, de acordo com o novo preço, devendo o valor correspondente a essa atualização ser somado às prestações devidas ou das mesmas subtraído, conforme o preço do veiculo substituto seja superior ou inferior, respectivamente, ao do veículo original;
B - Tendo sido paga importância igual ou superior ao preço do veículo substituto vigente na data da assembléia geral extraordinária, o CONSORCIADO terá direito ao crédito após sua contemplação pôr sorteio, e a importância recolhida a maior deverá ser devolvida independente de contemplação, na medida da disponibilidade de recursos do grupo.

DA DESISTÊNCIA, DA EXCLUSÃO

32 - O CONSORCIADO que solicitar formalmente o seu afastamento do grupo será considerado desistente, e aquele que deixar de cumprir suas obrigações financeiras ou praticar fato desabonador poderá ser excluído.
1º - A desistência será efetivada na data da solicitação formal do CONSORCIADO e somente poderá ocorrer antes da contemplação.
2º - A exclusão pôr inadimplência poderá ocorrer, independentemente de notificação ou interpelação judicial, em caso de falta de pagamento de 2 (duas) ou mais prestações mensais consecutivas ou alternados e sempre antes da contemplação.
A - Pôr prestar falsas informações;
B - Praticar atos desabonadores;
C - Efetuar pagamentos com cheque roubado ou sem cobertura ou insuficiência de fundos;
D - Provocar tumulto ou tentativa de tumulto nas assembléias;
E - Ficar insolvente, falido ou condenado pôr peculato ou crime contra o patrimônio.
4º - Antes da exclusão o participante inadimplente poderá restabelecer seus direitos com a aquiescência da administradora, mediante o pagamento das respectivas prestações e diferenças de prestações em atraso, com seus valores reajustados, acrescidos dos juros moratórios e multa contratual.
33 - Deverá ser aplicada a redução de 5% (cinco pôr cento), cujo produto será creditado ao grupo, pelos prejuízos que o excluído causar ao grupo conforme disposto no parágrafo 2º do artigo 53 da lei 8.078 de 11.09.90.
33.1 - Aos CONSORCIADOS desistentes / excluídos ou seus sucessores, serão devolvidas as quantias pôr eles pagas aos fundos comum e de reserva, no prazo de 60 (sessenta) dias, após a colocação a disposição dos XONSORCIADOS do grupo, do último crédito.
33.2 - Apuração do valor da devolução será obtida pelo percentual do valor do veículo do plano, efetivamente pago pelo desistente ou excluído, na forma contratual, apurando-se o valor do crédito vigente na data da assembléia geral de contemplação da ultima devolução do pagamento, nas condições estipuladas no artigo 33 supra.
33.3 - Efetivada a desistência ou a exclusão do participante, a ADMINISTRADORA deverá comunicar-lhe formalmente, o percentual pago do valor do bem referenciado no contrato, vigente na data da última assembléia antes da exclusão ou desistência.
Parágrafo Único - Ao valor da devolução serão abatido 50% (cinqüenta pôr cento) de taxa de administração devida, correspondente ao número de meses existentes, entre o mês da desistência / exclusão e o previsto para o término do grupo; que caberá ao consórcio nacional FIAT.

DA SUBSTITUIÇÃO DO CONSORCIADO

34 - O CONSORCIADO que for admitido no grupo, em substituição ao excluído ou desistente, ficará obrigado ao pagamento das PRESTAÇÕES do contrato, observado o seguinte:
I - As prestações a vencer deverão ser recolhidas mensalmente, na forma prevista para os demais participantes do grupo;
II - As prestações e diferenças de contribuições vencidas, deverão ser pagas pelo CONSORCIADO substituto, até o prazo previsto para encerramento do grupo, parceladamente ou de uma só vez, atualizada na forma prevista no contrato;
III - As prestações já pagas pelo excluído ou desistente deverão ser liquidadas, pelo CONSORCIADO, substituto, parceladamente ou de uma só vez no ato de sua contemplação com o valor vigente no dia da assembléia geral ordinária de contemplação do mês, devendo os valores recebidos serem creditados ao fundo comum do grupo.
DA TRANSFERÊNCIA
35 - O CONSORCIADO que estiver "em dia" poderá transferir os direitos e obrigações de sua cota, pela formalização em documento próprio, mediante a anuência da ADMINISTRADORA, pós a aprovação da ficha cadastral do cessionário e atendidas as exigências de garantias, caso já tenha ocorrido a contemplação.

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

36 - Os herdeiros e sucessores ficarão sub-rogados nos direitos e OBRIGAÇÕES do CONSORCIADO falecido sendo-lhes facultado optar pela desistência, desde que não tenha havido a entrega do bem, ou pela permanência no consórcio, hipótese em que continuaram como integrantes do grupo até a liquidação do débito, nas CONDIÇÕES estabelecidas neste contrato.
1º - O documento hábil de habilitação dos herdeiros e sucessores é o alvará judicial, que determinará quem será o beneficiário do bem, ou pagamento, na hipótese de que o contrato esteja quitado.
2º - A eventual delonga na expedição do albará judicial pela autoridade judiciária não exclui a obrigação de pagamento dos reajustes das prestações previstas neste contrato.
37 - O contrato de seguro de vida não cobre a morte que tenha como causa doença contraída anteriormente à presente contratação.
37.1 - Não haverá cobertura pelas limitações da apólice de seguro em decorrência de doença que culmine com invalidez permanente, fica ressalvado entretanto que a invalidez permanente em decorrência do acidente será objeto de cobertura.
38 - O CONSORCIADO deverá comunicar incontinente a ADMINISTRADORA qualquer mudança em seu domicilio
39 - A administradora fica obrigada a:
I - Lavrar atas das assembléias gerais ordinárias e extraordinárias e termos de ocorrência;
II - Levantar o boletim de encerramentos das operações do grupo, ate 60 (sessenta) dias após a realização da última assembléia.
40 - Na hipótese da ADMINISTRADORA abster-se ao exercício de quaisquer direitos ou faculdades, tal abstenção não afetará esses direitos ou faculdades que poderão ser exercidos a qualquer tempo e tão pouco implicará em novação.
Parágrafo Único - Eventual renúncia a seus direitos, conforme previstos neste regulamento somente será extravasada pôr documento escrito, devidamente assinado pôr seus representantes leais ou procuradores, com poderes específicos.
41 - O grupo será de âmbito nacional, sendo que as assembléias realizar-se-ão na sede da ADMINISTRADORA, campo "a" quadro V, onde os CONSORCIADOS poderão obter todas as informações relativas ao grupo e a sua participação.
1º - Fica facultado entretanto a formação de grupo exclusivo e a ADMINISTRADORA poderá realizar a primeira ASSEMBLÉIA em localidades fora da sede social, mediante comunicação prévia aos CONSORCIADOS, no informativo de posição informativa na proposta de admissão. Nesta hipótese o sorteio será realizado através de globo giratório, no qual são inseridos os números de cotas de todos os participantes e do qual em seguida irá ser extraído o número sorteado, restabelecendo-se a partir da segunda assembléia o critério da loteria federal até o encerramento do grupo.
2º - É o valor que correrás pôr conta do CONSORCIADO eventual diferença entre a tabela de preços sugeridos ao público pelo fabricante para a cidade de São Paulo, estado de São Paulo, e o correspondente válido para a cidade em que estiver localizada a pessoa jurídica.

FORO DE ELEIÇÃO

42 - As partes de comum acordo deliberam que: Na propositura de ação, a parte DEMANDANTE fica facultado o ajuizamento no domicílio da DEMANDADA.

43 - Correrão pôr conta dos CONSORCIADOS quaisquer tributos ou taxas que venham a incidir sobre o contrato de adesão, sobre o valor do crédito entregue ao CONSORCIADO, ou sobre as atividades do grupo, excetuados aqueles incidentes sobre as operações próprias da ADMINISTRADORA, que correrão, sempre, pôr sua conta e responsabilidade. Tais tributos ou taxas poderão ser debitados, a critério da ADMINISTRADORA, aos fundo comum e de reserva, ou as contas individuais dos CONSORCIADOS.

MÉTODOS DE SORTEIO

44 - De acorde com o número de meses de duração do grupo, os SORTEIOS obedeceram os seguintes métodos:

PLANO DE 6 (SEIS) MESES

1º - O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da dezena do 1º prêmio da extração da loteria federal, conforme designação especifica do grupo, sendo que cada CONSORCIADO, concorrerá com 09 (nove) números atribuídos de seguinte forma: 08 (oito) números da dezena 01 (zero um) a 96 (noventa e seis), cabendo a cada CONSORCIADO os números correspondentes ao número de sua cota multiplicado pôr 8 (oito) e os 7 (sete) números anteriores ao produto; 1 (um) número da dezena 97 (noventa e sete) a 00 (zero,zero) que será atribuído em ordem crescente a cada 3 (três) CONSORCIADOS servindo o número da assembléia para a determinação da cota premiada; assim, cada CONSORCIADO concorrerá em 2 (duas) assembléias. Com a dezena 97 (noventa e sete), concorrerão os CONSORCIADOS das cotas 01 (zero, um) a 03 (zero, três) nas assembléias 1 e 6, 2 e 5, 3 e 4 nas assembléias 1 e 6, 2 e 5, 3 e 4 respectivamente. Com a dezena 99 (noventa e nove), concorrerão os CONSORCIADOS das cotas 07 (zero sete) a 09 (zero nove) nas assembléias 1 e 6, 2 e 5, 3 e 4 respectivamente. Com a dezena 00 (zero, zero) concorrerão os CONSORCIADOS das cotas 10 (dez) a 12 (doze) nas assembléias 1 e 6, 2 e 5, 3 e 4 respectivamente.

2º - Se o número extraído corresponder o CONSORCIADO já premiado anteriormente, o CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO premiado e, se este CONSORCIADO já foi premiado, inadimplente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior até localizar o premiado.

3º - Entende-se como CONSORCIADO superior ao de número de cota 12 (doze) o CONSORCIADO com número de cota 01 (zero um).

4º - O número correspondente a cota 12 (doze) será premiado quando o resultado da loteria federal for 89 (oitenta e nove) a 96 (noventa e seis), inclusive e , 00 (zero, zero) quando extraído na 3º (terceira) e 4º (quarta) assembléia do grupo.

PLANO DE 12 (DOZE ) MESES

1º - O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação específica do grupo, sendo que cada CONSORCIADO concorrerá com 05 (cinco) números atribuídos da seguinte forma: ao número de sua cota multiplicado pôr 4 (quatro) e os 3 (três) números anteriores ao produto; 1 (um) número da dezena 97 (noventa e sete) a 00 (zero,zero) que será atribuída a cada seis CONSORCIADOS servindo o bimestre do ano civil de base para determinação da cota premiada; assim, quando a contemplação ocorrer no primeiro bimestre será considerada premiada a cota de menor número entre as seis, quando a contemplação ocorrer no segundo bimestre será premiada a segunda cota em ordem crescente; e assim pôr diante sendo que quando a contemplação ocorrer no último bimestre será premiada a cota de maior número entre as seis.

2º - Se o número extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO premiado e, se este CONSORCIADO foi já premiado, inadimplente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior, até localizar o premiado.

3º - Entende-se como CONSORCIADO superior ao de número de cota 24 (vinte e quatro) o CONSORCIADO com número de cota 1 (um).
4º - O número correspondente a cota 24 (vinte e quatro) será premiado quando o resultado da loteria federal for de 93 (noventa e três) a 96 (noventa e seis) inclusive e , 00 (zero, zero) quando extraído no sexto e último bimestre do ano.

PLANO DE 20 (VINTE) MESES

1º- O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação especifica do grupo, sendo que cada CONSORCIADO concorrerá com 25 (vinte e cinco) números atribuídos da seguinte forma: 25 (vinte e cinco) números da centena de 001 (zero, zero, um) a 999 (novecentos e noventa e nove), cabendo a cada CONSORCIADO os números correspondentes ao número de sua cota multiplicado pôr 25 (vinte e cinco) e os 24 (vinte e quatro) números anteriores ao produto;
2º - Se o número extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a premiado e, se este CONSORCIADO foi já premiado, inadimpente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior, até[e localizar o premiado.
3º - O número correspondente á cota 40 (quarenta) será premiado quando o resultado da loteria federal for de 976 (novecentos e setenta e seis) a 000 (zero, zero, zero) inclusive.

PLANO DE 25 (VINTE E CINCO) MESES

1º O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação especifica do grupo, e será premiado o CONSORCIADO cujo o número de inscrição multiplicado pôr 2 (dois) e o número anterior a este produto coincidir com dezena do primeiro prêmio.
2º - Se o número extraído corresponder ao CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado o CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO premiado e se, este CONSORCIADO foi já premiado, inadimplente ou decrescente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alterrnando-se sucessivamente a ordem superior e inferior, até localizar o premiado.
3º - Entende-se como seqüência superior a dezena 00 (zero,zero) a dezena 01 (zero, um) e como seqüência inferior á dezena 00 (zero,zero) a dezena 99 (noventa e nove).
4º - O número correspondente a cota 50 (cinqüenta) será premiado quando o resultado da loteria federal for correspondente as dezenas 99 (noventa e nove) e 00 (zero, zero) inclusive.

PLANO DE 40 (QUARENTA) MESES

1º O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação especifica do grupo, e será premiado o CONSORCIADO cujo número de incrição multiplicado Por 125 (cento e vinte e cinco) e o número anterior a este produto coincidir com a milhar do primeiro prêmio.
2º - Se o número extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado o CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO premiado e, se este CONSORCIADO foi já premiado, inadimplente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior, até localizado o premiado.
3º - Entende-se como CONSORCIADO superior ao de número de cota 80 (oitenta) o CONSORCIADO com número de cota 1 (um) . (oitocentos e setenta e seis) 0000 (zero, zero, zero, zero) inclusive.

PLANO DE 50 (CINQUENTA) MESES


1º - O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação especifica do grupo, e será premiado o CONSORCIADO cujo numero de inscrição coincidir com a dezena dos últimos algarismos do primeiro prêmio.
2º - Se o número extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a premiado e, se este CONSORCIADO foi já premiado, inadimplente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternado-se sucessivamente a ordem superior e inferior, até localizar o premiado.
3º - Entende-se como seqüência superior a dezena 00 (zero,zero) a dezena 01 (zero,um), e como seqüência inferior a dezena 00 (zero,zero) a dezena 99 (noventa e nove).
4º - O número correspondente a cota 100 (cem) será premiado quando o resultado da loteria federal for correspondente a dezena 00 (zero, zero).

PLANO DE 60 (SESSENTA) MESES


1º - O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da extração da loteria federal, conforme designação específica do grupo, sendo que cada CONSORCIADO concorrerá com 09 (nove) números atribuídos da seguinte forma: - 8 (oito) números da centena 001 (zero, zero, um) a 960 (novecentos e sessenta), cabendo a cota CONSORCIADO os números correspondentes ao número de sua cota multiplicado pôr 8 (oito) e os 7 (sete) números anteriores ao produto; - 1 (um) número da centena 961 (novecentos e sessenta e um) a 000 (zero, zero, zero) que será atribuído a cada três CONSORCIADOS servindo o quadrimestre do ano civil de base para a determinação da cota premiado; assim, quando a contemplação ocorrer no quadrimestre será premiada a cota de maior número entre as três, e finalmente, quando a contemplação ocorrer no segundo quadrimestre será premiada a cota intermediária entre as três.
2º - Se o numero extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, o CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado o CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior até localizar o premiado.
3º - Entende-se como CONSORCIADO superior ao de número de cota 120 (cento e vinte) O consorciado COM NÚMERO DE COTA 01 (ZERO, UM).
4º - O número correspondente a cota 120 (cento e vinte) será premiado quando o resultado da loteria federal for de 953 (novecentos e cinqüenta e três) a 960 (novecentos e sessenta), inclusive e, 000(zero, zero, zero) quando extraído no 3º (terceiro) e último quadrimestre do ano.

PLANO DE 100 (CEM) MESES


1º O sorteio será realizado mensalmente através do resultado da centena do 1º prêmio da extração da loteria federal, conforme designação específica do grupo, sendo que cada CONSORCIADO concorrerá com 05 (cinco) números atribuídos da seguinte forma: - 05 (cinco) números da centena 001 (zero, zero, um) a centena 000 (zero, zero, zero), cabendo a cada CONSORCIADO os números correspondentes ao numero de sua cota multiplicado pôr 5 (cinco) e os 4 (quatro) números anteriores ao produto.
2º - Se o numero extraído corresponder a CONSORCIADO já premiado anteriormente, a CONSORCIADO inadimplente ou a CONSORCIADO desistente, será habilitado CONSORCIADO com número de cota em ordem crescente ao CONSORCIADO premiado e, se este CONSORCIADO já foi premiado, inadimplente ou desistente, será utilizado o mesmo critério em ordem decrescente e assim alternando-se sucessivamente a ordem superior e inferior até localizar o premiado.
3º - Entende-se como CONSORCIADO superior ao número de cota 200 (duzentos) o CONSORCIADO com número de cota 01 (zero, um)
4º - O número correspondente a cota 200 (duzentos) será premiado quando o resultado da loteria federal for 996 (novecentos e noventa e seis) a 000 (zero, zero, zero)

O plano de SORTEIO explicita forma pela qual o CONSORCIADO poderá exercer a efetiva CONTEMPLAÇÃO de acorde com as formalidades exigidas.

E pôr estarem assim justos e contratadas, as partes firmam o presente em 02 (duas) vias de igual teor e forma na presença de duas testemunhas.

Através desta presente proposta de admissão, confirmo o meu desejo de participar do grupo de consórcio, conforme plano acima descrito, e declaro que todas as informações que prestei, são verdadeiras.
facebook twitter youtube
 
Pague somente boletos destinados a Fiat
Administradora de Consórcio LTDA
-CNPJ - 42.421.776/0001-25